Notícias

Professora Creu e o amor pelo Módulo

18/12/2015 13:26:48

Foi na quadra de esportes, em meio aos saques, ataques e defesas do voleibol, que a professora Creu conseguiu se destacar dentro e fora do Colégio Módulo. “É um amor que não tenho como explicar”, revelou, ao ser questionada sobre a importância do Colégio para a sua vida pessoal e profissional. A história de Creu no Módulo começou em 1991, quando, ainda jogadora profissional de vôlei de praia, decidiu voltar para Aracaju após um longo período de treino e competições em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

“Retornei para Aracaju e estava à procura de emprego. Uma amiga em comum me apresentou a Sérgio Dantas, mas a princípio ele disse que não havia interesse porque o Módulo já tinha um professor de Educação Física. Passou um tempo e Sérgio sugeriu um trabalho de experiência. Isso foi em 1991 e a partir disso transformei essa experiência em minha carreira profissional”, detalhou a professora Creu. “Era um colégio pequeno, mas já tinha o espírito de família”, destacou.

Nesse período, a professora Creu levou o nome do Colégio para todos os torneios e competições que participava como jogadora profissional de vôlei de praia. “Sérgio adorou porque eu colocava o nome do Módulo na toalhinha, no sombreiro, na camisa e em todos os lugares. Era quase uma garota propaganda”, brincou.

A relação de Creu com o Colégio Módulo foi ganhando confiança ao longo do tempo. No antigo prédio do Inácio Barbosa, a professora lançou a ideia de iniciar um trabalho específico de voleibol. “Sérgio apostou na ideia, comprei o material que precisava, como bolas e rede, e comecei a fazer os treinos na quadra do bairro. Tudo isso aconteceu em um clima de muita paixão e entusiasmo. Íamos para os eventos em um fusca e um monza. São lembranças incríveis”, relembrou Creu.

A professora lembra de muitos momentos marcantes desde o início do Colégio Módulo. “O bom da história é que tudo permanece como começou. Ainda me emociono quando me recordo das cartinhas que os alunos entregavam aos professores. A gente ia almoçar na casa deles. Era uma relação de família, que continua até hoje”, registrou.

Creu sempre manteve um vínculo muito forte com o Colégio Módulo. “Era impressionante como os outros locais de trabalho por onde passei tinha um ciúme enorme de como eu me comportava com os alunos do Módulo. Meu coração grita por esse colégio. Agarrei aqui como a minha família. Tenho os alunos como filhos. É um amor incondicional. Ninguém explica o amor. Ama e ponto final”, vibrou a professora.

“Sempre que falo do Módulo, costumo dizer uma coisa: Sérgio Dantas é o arquiteto, o engenheiro, a pessoa que fez tudo isso acontecer. Aqui dentro ele tem um coração chamado Paulo Mesquita e juntos eles consolidaram o Colégio. Entre os dois existem as pessoas de apoio e eu me sinto uma delas”, disse Creu, destacando que a sua maior contribuição é o amor e o carisma. “Sou mãe, amiga e técnica. Os alunos desabafam comigo. Hoje sou madrinha dos filhos deles, madrinha de casamento. Alunos que são meus médicos, dentistas. Temos uma relação eterna de carinho”, acrescentou.

A história de Creu no Colégio Módulo é a lembrança de momentos que ficarão guardados eternamente. Ao falar sobre futuro, a professora foi enfática. “Isso aqui representa a minha vida. Um dia vou me aposentar, mas não sei se consigo sair daqui. O que me move é continuar trabalhando no Módulo”, finalizou.

Vídeos